sexta-feira, 3 de março de 2017

Roadsec 2017 | Belém


O maior evento de hacking, segurança e tecnologia do continente vai passar por 18 capitais brasileiras em 2017, e vai ser ainda mais épico! Palestras, oficinas, desafios e ainda tem o maior campeonato de hacking do continente - o Hackaflag!

No dia 25 de março estaremos em Belém para uma edição recheada de novidades - nova credencial, novos palestrantes, novos cursos. Esperamos pelos amigos e novos participantes!

Iremos ter 2 lotes de ingressos:
1º Lote - 19/12/16 à 30/01/2017
2º Lote - 30/01/2017 à 24/03/2017

ATENCÃO: Caso o 1º Lote esgote antes da data prevista, o 2º Lote irá começar a ser vendido imediatamente!

Garanta já o seu ingresso e bom Roadsec Belém pra você!
FONTE: eventbrite

quinta-feira, 2 de março de 2017

Como um erro de digitação derrubou boa parte da internet mundial



Em meio ao Carnaval, uma de dor de cabeça para sites do mundo todo se espalhou na internet. Na terça-feira, 28, os servidores da Amazon caíram, levando junto grande parte da internet por mais de quatro horas. Nesta quinta-feira, 2, empresa revelou que o problema que parou a rede foi causado por um erro de digitação.

Na manhã do dia 28, membros da equipe dos serviços web S3 estavam depurando o sistema de faturamento e, por isso, precisavam deixar um pequeno número de servidores fora do ar. “Infelizmente, um dos comandos foi inserido incorretamente”, afirma a Amazon, explicando que um número maior de servidores do que o esperado foi colocado off-line.

Um dos subsistemas afetados é responsável por gerenciar os metadados e informações de localização de todos os objetos no S3. "Queremos os desculpar pelo impacto que esse evento causou para nossos clientes”, declara a companhia.

Depois do acidente, os sistemas tiveram que ser completamente reiniciados, procedimento que leva bastante tempo. "O S3 tem experimentado um crescimento maciço nos últimos anos e o processo de reiniciar esses serviços e executar as verificações de segurança necessárias para validar a integridade dos metadados levou mais tempo do que o esperado", disse a empresa.

Como resultado, a Amazon explica que está realizando mudanças para que os sistemas se recuperem mais rapidamente, além de evitar erros de digitação. A gigante de tecnologia também se comprometeu a mostrar, em sua ferramenta de informação, exatamente como andam os servidores.

FONTE: olhardigital

quarta-feira, 1 de março de 2017

Lançado o Ubuntu 16.04.2 LTS trazendo o Linux Kernel 4.8




Foi finalmente lançado na última quinta-feria (16) o Ubuntu 16.04.2 LTS, nada mais do que uma coleção de todos os patches de segurança e atualizações de software mais recentes lançados pela Canonical para a série de suportada a longo prazo Ubuntu 16.04 (Xenial Xerus) desde o lançamento inicial do Ubuntu 16.04.1 LTS em julho de 2016.

Entre os principais destaques, está o Linux Kernel 4.8 e uma versão atualizada do servidor X, presente no Ubuntu 16.10. De modo geral, o usuário que optar em atualizar seu sistema poderá obter um melhor suporte para novos hardwares. Existe também atualizações para a biblioteca de gráficos 3D Mesa, porém, se você quer um melhor desempenho com a sua placa AMD, por exemplo, é melhor atualizar para o Mesa 17.

Supondo que você já possui o Ubuntu 16.04 LTS, para atualizar seu sistema operacional para o Ubuntu 16.04.2 LTS, você tanto pode usar o gerenciador de atualizações. Também é possível baixar a imagem ISO do Ubuntu 16.04.2 LTS através deste link, o que é ideal para aqueles que buscam uma instalação limpa.

O próximo Ubuntu 16.04.3 LTS pode chegar no final deste ano com drivers de vídeos atualizados e com o kernel do Ubuntu 17.04 (Zesty Zapus), que possui lançamento previsto para 13 de abril de 2017.
FONTE: linuxbuzz

Tecnologia da Meizu carrega até 100% da bateria do celular em 20 minutos

A Super mCharge é uma nova tecnologia que promete carregar 100% da bateria do seu celular em apenas 20 minutos. O anúncio foi feito pela Meizu, fabricante de aparelhos Android que faz sucesso na China, durante a Mobile World Congress (MWC) 2017, feira internacional de smartphones que ocorre em Barcelona, na Espanha.
Batizado de Super mCharge, o carregador é cerca de 5,5 vezes mais rápido do que os tradicionais – concorrendo diretamente com o Quick Charge, da Qualcomm. A tecnologia chega para compensar a baixa autonomia dos celulares à venda no mercado.

Meizu desenvolve tecnologia que carrega bateria de smartphones em apenas 20 minutos (Foto: Divulgação/Meizu)
Meizu desenvolve tecnologia que carrega bateria de smartphones em apenas 20 minutos (Foto: Divulgação/Meizu)
 


Para demonstrar a eficácia do produto, a Meizu carregou um de seus celulares de 0% a 100% em apenas 18 minutos. A bateria do aparelho era de 3.000 mAh e metade da capacidade de carga havia sido atingida em apenas oito minutos. Dessa forma, a tecnologia empregada na solução da Meizu mostrou-se mais eficiente que a da rival Qualcomm, visto que o padrão Quick Charge leva mais ou menos o dobro do tempo para uma recarga completa.

Tecnologia da Meizu carrega até 100% da bateria do celular em 20 minutos (Foto: Divulgação/Meizu)
Tecnologia da Meizu carrega até 100% da bateria do celular em 20 minutos (Foto: Divulgação/Meizu)


Carregadores ultrarrápidos são a solução que as empresas estão encontrando para driblar o limite de autonomia das baterias atuais, graças à dificuldade técnica em desenvolver uma bateria que dure mais. Apesar de promissora, a técnica ainda deve demorar um tempo até chegar aos consumidores, devido ao cuidado extra nesse campo após os casos de explosão do Samsung Galaxy Note 7.

A fabricante não divulgou a data de lançamento do carregador e nem revelou quais de seus smartphones suportarão a tecnologia Super mCharge.

FONTE: Techtudo

sexta-feira, 25 de março de 2016

Próximo avanço em celulares pode não ser um celular

SmartWatch
SmartWatch: muitas empresas estão testando novas formas de ajudar os consumidores a interagir com o mundo, com acessórios pessoais ativados por voz instalados em joias como colares ou brincos

Frankfurt - Quase uma década após o iPhone ser lançado, a questão do momento é se a evolução do celular inteligente chegou ao fim uma vez que a Apple está agora trata telas de 4 polegadas como coisa nova.

Especialistas da indústria acreditam que a inovação nos smartphones está dando passagem para funções de telefone que estão surgindo com softwares ou serviços de todas as formas, sejam em carros, geladeiras, relógios e joias.

E os analistas e designers de produtos afirmam que novos avanços estão sendo barrados por limites práticos sobre o que é possível fazer com os smartphones atuais, seja em termos do tamanho da tela, carga da bateria e capacidade de rede.

"Tudo na indústria do celular é agora incremental: ligeiramente mais rápido, um pouco maior, um pouco mais de armazenamento de dados ou resolução melhor", disse Christian Lindholm, inventor dos teclados de envio fácil de texto que fizeram os aparelhos da Nokia serem os mais vendidos.

As apostas financeiras são altas uma vez que os futuros de Apple, Google e Microsoft, as três maiores empresas do mundo com ações em bolsa no fim de 2015, brigam para definir quem vai tornar os celulares redundantes.

Muitas empresas estão testando novas formas de ajudar os consumidores a interagir com o mundo, com acessórios pessoais ativados por voz instalados em joias como colares ou brincos.

As gigantes de tecnologia conseguiram real progresso nesta área com Google Now, Apple Siri e Microsoft Cortana e Amazon Alexa lendo textos ou emails aos usuários, respondendo perguntas práticas, controlando funções de celulares ou navegando mapas.

"A maneira como a coisa toda está evoluindo indica que o aparelho em si vai se tornar apenas uma outra forma de fornecer acesso à vida digital do usuário", disse o analista independente Richard Windsor.

Lindholm agora dirige a KoruLab, criadora de aparelhos vestíveis compactos. Ele vê as funções do celular inteligente se dividindo em dois campos, aparelhos com telas grandes para e entretenimento e equipamentos vestíveis compactos para funções como calendário, acompanhamento de ritmo cardíaco ou pagamento.

Analistas do UBS estimam que os fabricantes de celulares inteligentes vão gerar mais de 323 bilhões de dólares em receita este ano, uma queda de 1,4 por cento sobre 2015.

A Apple sozinha vai ficar com metade desta receita e mais de três quartos dos lucros, segundo a empresa de pesquisa Strategy Analytics.

Seja qual for a plataforma que poderá tornar o celular obsoleto, vai precisar resolver questões como por exemplo como ampliar a vida da bateria, uma vez que os usuários assistem à vídeos cada vez mais.

O futuro aparelho também precisará ter telas mais flexíveis, capazes de trabalhar com diferentes condições de luz.

Isso é um sonho de décadas que têm sido difícil de ser alcançado mesmo por líderes como Samsung e LG, que têm enfrentado dificuldade para produzir em massa telas flexíveis a preços de mercado.

Richard Windsor afirma que os displays flexíveis, que podem ser enrolados ou dobrados e terem tamanho de até 10 ou 14 polegadas, vão libertar os celulares de serem definidos pelo tamanho da tela.
FONTE: Exame

Hacker vende dados de 1,5 milhão de clientes de telefônica dos EUA


Um hacker explorou uma falha de segurança da Verizon, maior empresa de comunicação móvel dos Estados Unidos, roubou dados de pelo menos 1,5 milhão de clientes e os colocou para venda online, informou o site especializado em segurança "Krebs on Security" nesta quinta-feira (24).

A empresa confirmou o ataque ao site e disse que os clientes afetados estão sendo alertados. A Verizon tem como clientes grandes empresas; pelo menos 97% das companhias citadas na lista anual de 500 maiores do mundo da revista de economia "Fortune" são clientes da operadora.

A investigação interna da equipe da Verizon averiguou que o hacker tentava acessar informações básicas dos clientes, mas não teve acesso ao CPNI deles. Essa é a sigla para "informação de rede proprietária do cliente", com dados que incluem hora, data, duração e número de destino de cada chamada e o tipo de rede que um consumidor assina. Não foram revelados mais detalhes de como ocorreu a invasão.

O hacker colocou à venda na internet os dados que obteve por US$ 100 mil (R$ 368 mil na conversão direta), mas se ofereceu para vendê-los em pacotes de 100.000 registros por US$ 10.000 cada (R$ 36,8 mil).

Ironicamente, a Verizon é uma operadora que se esforça bastante para informar aos clientes sobre questões de vulnerabilidade e segurança, com relatórios de ataques e dicas para evitar invasões em seu site oficial.
FONTE: Uol

Como fazer uma ligação via Wi-Fi em celulares da Vivo

O iOS 9.3, atualização liberada pela Apple na última segunda-feira (21),  tem compatibilidade com as chamadas por Wi-Fi da Vivo no iPhone. Com o recurso ativado, o usuário pode usar a conexão com a internet para fazer ligações em lugares em que a rede da empresa não tem cobertura. A funcionalidade é bastante útil para quem está sem sinal da operadora no celular, durante uma viagem ou até mesmo no exterior.
Testamos o iPhone SE, que chegou com tela de 4 polegadas e processador rápido

A ferramenta, por padrão, vem desativada no smartphone. Se você já instalou a última versão do iOS no iPhone, confira a dica e saiba como habilitar ligações via Wi-Fi para fazer chamadas usando a internet. É importante ressaltar que o recurso só funciona para clientes da prestadora Vivo. Ainda não informações sobre o recurso para telefones Android e Windows Phone.

Botão de volume do iPhone 6 (Foto: Lucas Mendes/TechTudo)
Como fazer uma ligação via Wi-Fi em celulares da Vivo (Foto: Lucas Mendes/TechTudo)

Passo 1. Acesse as configurações do iOS, em "Ajustes" e toque em “Telefone”. Em seguida, clique em “Ligações Wi-Fi”.

Acesse as configurações do telefone (Foto: Reprodução/Helito Bijora)
Acesse as configurações do telefone (Foto: Reprodução/Helito Bijora) 

Passo 2. Por fim, habilite a opção “Ligações Wi-Fi Neste iPhone” e toque em “Ativar” para confirmar.

Ativando as ligações por Wi-Fi (Foto: Reprodução/Helito Bijora)
Ativando as ligações por Wi-Fi (Foto: Reprodução/Helito Bijora) 

A partir de agora, sempre que você fizer ligações de um lugar sem sinal da Vivo, a conexão com a internet será usada para completar a chamada – desde que você esteja conectado a uma rede Wi-Fi, é claro.
FONTE: Techtudo